domingo, 27 de julho de 2014

BOAD disponibiliza apoio à Guiné-Bissau em cerca de 116 milhões de euros

26 JULHO, 2014

_imagem02O representante do Banco Oeste Africano de Desenvolvimento (BOAD) na Guiné-Bissau, Kuame Armand, anunciou hoje que a instituição tem uma carteira de cerca de 116 milhões de euros em projetos para executar no país.

O dinheiro servirá para financiar “ações de desenvolvimento” nos setores da agricultura, infraestruturas rodoviárias, energia elétrica e requalificação do porto de Bissau, referiu aquele responsável, à saída de um encontro com o Presidente da República, José Mário Vaz, no Palácio da Presidência, em Bissau.

“Foi tudo isso que discutimos com o Presidente que nos fez uma forte recomendação para [o BOAD] ajudar a Guiné-Bissau, para que possa rapidamente realizar estes projetos que são a essência dos objetivos fixados pelo Estado”, explicou Armand.

O representante do banco africano disse ter garantido ao Presidente guineense que os projetos e o financiamento dos mesmos já estão aprovados, estando agora na fase de execução de cada um.

Já na quarta-feira, José Mário Vaz tinha recebido o diretor nacional do Banco Central dos Estados da África Ocidental (BCEAO) que anunciou um empréstimo de cerca de 22,8 milhões de euros para pagamento de salários em atraso na função pública da Guiné-Bissau.

Hoje, no que respeita ao BOAD, Kuame Armand disse que aguarda por uma oportunidade para iniciar discussões com o novo primeiro-ministro guineense, Domingos Simões Pereira, sobre novos projetos que poderão contar com o apoio financeiro do banco.

“Posso garantir-vos que a cooperação com a Guiné-Bissau é muito boa. Esperamos que os projetos sejam executados rapidamente para que se possam refletir na melhoria de vida dos guineenses”, observou Kuame Armand, que desejou “felicidades” às novas autoridades de Bissau.

Aquele responsável manifestou ao presidente da Guiné-Bissau “abertura total” da sua instituição para continuar a ajudar o país.

Com sede em Lomé, capital do Togo, o BOAD financia projetos de desenvolvimento nos oito países que compõem a União Económica e Monetária da África Ocidental: Benim, Burkina-Faso, Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Mali, Níger, Senegal e Togo.

Sem comentários:

Publicar um comentário