quarta-feira, 31 de março de 2010

Ilhas Bijagós atoladas com peixe morto atirado ao mar por pesqueiros

Bissau - O delegado marítimo das ilhas Bijagós, sul da Guiné-Bissau, Bulli Djassi, denunciou hoje (Quarta-feira) que navios industriais de pesca estão a atirar peixe morto ao mar, causando "enorme poluição" em várias ilhas do país.

Bulli Djassi afirmou que "é um autêntico Carnaval de peixe morto" nas águas das ilhas de Mel, Poilão, João Vieira e Alcatrack, onde há mais de um mês que barcos de pesca industrial atiram peixe morto ao mar.

"O que acontece nessas ilhas é um autêntico Carnaval de peixe morto. Os barcos pescam e deitam ao mar grandes quantidades de peixe morto. Não sabemos qual é a licença que têm, mas o que se vê nestas águas é peixe morto por tudo quanto é sitio", disse Bulli Djassi.

As quatro ilhas são das principais zonas de captura do pescado da Guiné-Bissau ao abrigo das licenças de pesca concedidas aos armadores estrangeiros, na sua maioria europeus, que pescam nas águas guineenses.

O delegado marítimo diz que todos os dias recebe queixas da população local e de pescadores artesanais (que pescam para a subsistência), denunciando que há peixe morto deitado fora pelos barcos industriais.

"Não podemos fazer nada. Podemos é avisar as pessoas da fiscalização o que temos feito há vários meses", defendeu Bulli Djassi.

Na prática, o delegado marítimo apenas se ocupa do controlo das embarcações de transporte e carga de passageiros. A vigilância da actividade pesqueira compete à Fiscap (entidade de fiscalização das pescas).

Sem comentários:

Publicar um comentário