domingo, 10 de Abril de 2011

Mais 400 professores concluem formação na Guiné-Bissau

Programa de formação coordenado pelo Instituto Camões continua para outros 1.600 professores do ensino básico guineense.

Bissau - Quase quatro centenas de professores guineenses do ensino básico e secundário receberam esta semana o diploma do segundo curso de formação contínua em exercício de ensino-aprendizagem de Português Língua Segunda (PLS), segundo o Instituto Camões.

Em 2010, um primeiro grupo de 432 professores guineenses recebeu os diplomas pela conclusão do ciclo completo do programa de 3 níveis, iniciado em 2006 e administrado conjuntamente pelo Centro de Língua Portuguesa/Instituto Camões (CLP/IC) na Escola Normal Superior de Tchico Té (ENSTT) e por este mesmo estabelecimento de ensino especializado na formação de docentes da Guiné-Bissau.


Na sessão de entrega dos diplomas, que decorreu no Centro Cultural Português de Bissau, participaram, entre outras individualidades guineenses e estrangeiras, o ministro da Educação da Guiné-Bissau, Artur Silva, o Embaixador de Portugal, António Ricoca Freire, e o administrador da Petromar – Bissau (grupo Galp Energia), entidade que apoia financeiramente o programa, conjuntamente com o Instituto Camões, e que já manifestou disponibilidade para renovar esse apoio no próximo ano letivo.


Neste momento, encontram-se em formação 1.602 professores do ensino básico, distribuídos pelos níveis I (815 professores), II (642) e III (145).


A formação dos professores é feita através das chamadas Unidades de Apoio Pedagógico/Pólos de Língua Portuguesa (UAP/PLP), existentes em 12 centros espalhados pela Guiné-Bissau (Gabú, Quinhamel, Bafatá, Mansoa, Bissau, Canchungo, Ingoré, Bubaque, Catió, Buba, Bolama e Tombali).

Sem comentários:

Enviar um comentário