sábado, 9 de Janeiro de 2010

Contra-almirante José Américo Bubo Na Tchuto entregue ao Governo

Bissau - O acordo foi obtido depois de várias sessões de negociações entre as Nações Unidas e o Governo da Guiné-Bissau. José Américo Bubo Na Tchuto será entregue às autoridades guineenses.
A entrega formal do Contra-almirante deve ser realizada, no seguimento de consultas e acordos apropriados para o efeito, através do seu acompanhamento e escolta por oficiais relevantes da ONU, mantendo a segurança das instalações das Nações Unidas inviolável, até ao local onde deverá ser recebido pelas autoridades guineenses (do lado de fora do portão frontal da sede da ONU, em Bissau).

Segundo o acordo, assinado pela parte guineense por Lassana Turé, Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, na ausência do Ministro da tutela, e Joseph Mutaboba, pela parte da Organização das Nações Unidas na Guiné-Bissau, as autoridades nacionais tomarão todas as medidas necessárias para garantir a protecção e segurança do Contra-almirante. Se este vier a ser detido, os oficiais da ONU deverão ser autorizados a visitá-lo para monitorizar as condições da sua detenção e, se processado, deverão ser autorizados a seguir o seu julgamento.

O acordo estabelece ainda que, no caso do antigo Chefe de Estado-maior da Armada guineense vier a ser inculpado, não lhe será imposta a pena de morte, conforme, aliás, prevê a Constituição da República da Guiné-Bissau. Após a assinatura do acordo, cabe agora ao Governo fazer consultas directas com José Américo Bubo Na Tchuto, que serão facilitadas pelas Nações Unidas.

Volvidas quase duas semanas desde que Bubo Na Tchuto regressou à Guiné-Bissau, foi entregue às autoridades guineenses. O Contra- almirante e o Governo de Bissau vão agora discutir as eventuais soluções para este caso. Nesta perspectiva, a PNN apurou que, o ex-chefe de Estado-maior da Armada poderá deixar o país para aparente tratamento médico no estrangeiro. Fala-se na possibilidade de Angola ser o país de acolhimento.

José Américo Bubo Na Tchuto é acusado da tentativa de Golpe de Estado contra o ex-Presidente da República, «Nino» Vieira, morto no seguimento do assassinato à bomba do Chefe de Estado-maior General das Forcas Armadas, Batista Tagme Na Wayé.

Lassana Cassamá
(c) PNN Portuguese News Network

Sem comentários:

Enviar um comentário